-
Blog leia todos os artigos publicados pelos nossos psicólogos

Frigidez

Assuntos: Sexualidade | Autor: Renata Vaz | | Postado em 06.10.2014

frigidez, terapia de casalO que é Frigidez?

        A frigidez é uma das formas mais comuns de disfunção sexual feminina. Pode ser encontrada no CID-10 na categoria “falta ou perda de desejo sexual”.  

         O DSM-IV trata do assunto no capítulo dos Transtornos do Desejo Sexual, sendo a Frigidez considerada como Transtorno do Desejo Sexual Hipoativo. A característica essencial desse Transtorno de Desejo Sexual Hipoativo é uma deficiência ou ausência de fantasias sexuais e ausência do desejo de ter atividade sexual, causando sofrimento ou dificuldades interpessoais.Este baixo desejo sexual pode ser global, abrangendo todas as formas de expressão sexual ou pode ser apenas situacional, limitado a um parceiro ou a uma atividade sexual específica.

Frigidez X Anorgasmia          

A frigidez deve ser diferenciada da anorgasmia, na medida que as mulheres que não conseguem atingir o orgasmo podem sentir prazer de outras formas e se interessar pelo sexo, o que não acontece na frigidez, uma vez que a mulher que vive este transtorno tem pouca ou nenhuma motivação para a atividade sexual, dificilmente procura o parceiro para a atividade sexual e quando é procurada, costuma relutar. Como não tem interesse pelo sexo, pode ser comum a mulher não se sentir incomodada por não praticar sua sexualidade.

Causas do desinteresse pelo sexo:     

    Na absoluta maioria dos casos, o desinteresse pelo sexo está ligado a fatores psicológicos ou sociais, sendo um dos mais freqüentes determinantes a monotonia conjugal. Também a educação que se recebeu, a falta de diálogo entre os parceiros, as práticas sexuais pouco gratificantes, fatores religiosos, tabus, crendices, violência sexual (abuso ou estupro), medo de engravidar, experiências obstétricas traumáticas, envelhecimento, dificuldades do cotidiano, baixa auto-estima, auto-exigência exacerbada, ansiedade, excessiva preocupação com o desempenho, insegurança, estresse, depressão, desconhecimento do próprio corpo, dificuldades ligadas a adicção podem interferir na satisfação sexual.

         Apesar de mais rara, a falta de desejo pode estar ligada a problemas orgânicos, como por exemplo, alterações hormonais, debilidade física por conta de doenças e até mesmo pelo uso incorreto de medicamentos.

         A qualidade da relação afetiva também é um fator muito comum nesses casos. Muitas mulheres se consideram frígidas porque não conseguem viver a sexualidade no casamento. No desenvolvimento do trabalho, percebe-se que não há diálogo entre os cônjuges, o casamento é monótono e as práticas sexuais pouco gratificantes, essas mulheres não se sentem bem com seus companheiros.

         Existe nessas pessoas pouca motivação para a busca de estímulos e pouca frustração quando privado da oportunidade de expressão sexual.

Tratamentos:      

   De acordo com o Instituto de Gestalt Terapia, quando a origem é emocional existem dois caminhos de tratamento: o processo psicoterapêutico da mulher que apresenta os sintomas e a terapia de casal.  Em determinadas situações a conjunção dos dois processos se faz necessária. A superação de um quadro como esse passa pelo aprendizado, pelo auto conhecimento e normalmente gera transformações que vão alem da sexualidade, tendo expressão nas diversas áreas da vida humana.  No atendimento individual a ampliação do auto conhecimento permite que a mulher identifique como está construindo tal sintoma, o que gera a natural superação do quadro.  Na terapia de casal a busca é de aprender sobre o funcionamento daquela relação, sobre como o casal está fazendo para se distanciar, para se desencontrar.  Não existe uma receita pronta sobre como vai acontecendo o desgaste dos casais.  Cada casal é único e isso pode acontecer de muitas formas diferentes.

Bibliografia consultada

DORNELLES, Claudia (trad.). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 4ª edição. Texto revisado. Porto Alegre: Artmed, 2002.

BALLONE, G.J. Frigidez Sexual. In: PsiqWeb, Internet, disponível em www.psiqweb.med.br/sexo/frigidez.html. Revisto em 2004.

BALLONE, G.J. Ejaculação Precoce. In: PsiqWeb Psiquiatria Geral, Internet, disponível em www.psiqweb.med.br/sexo/ejacul.html. Revisto em 2002.

www.igt.psc.br

CAETANO, Dorgival (trad.). Classificação de Transtornos Mentais e de Comportamento da CID-10: Descrições Clínicas e Diretrizes Diagnósticas. Organização Mundial da Saúde (coord.). Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

VEIGA, Ana Paula. Orgasmo: Querer e Poder.  In: Revista IGT na Rede, Internet, disponível em www.igt.psc.br.

 

Compartilhe:

2 respostas para “Frigidez”

  1. lucimar disse:

    Sinceramente nao posso ficar sem comentar..o seu trabalho me ajudou muito a tirar minhas duvida.. Muito obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Planilhas para você + saiba mais
Sublocação de Sala + saiba mais
Cursos e Grupo de Estudos + saiba mais
Todos os direitos reservados © 2013 Senhora Terapia Design por xCake