-
Blog leia todos os artigos publicados pelos nossos psicólogos

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC)

Assuntos: TOC | Autor: Luciana Zimmerer | | Postado em 24.10.2013

tratamento_toc_

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo constitui hoje um dos quadros mais intrigantes e desafiadores da psiquiatria e psicologia atuais. Caracteriza-se pela presença de obsessões e/ou compulsões.

“As obsessões seriam pensamentos ou ideias recorrentes de caráter intrusivo e desagradável que causam muita ansiedade e tomam uma parcela significativa do tempo dos indivíduos que sofrem desse distúrbio. As compulsões, conhecidas popularmente como manias, são comportamentos, ações ou atitudes de aspecto repetitivo que essa pessoa com TOC é levada a adotar em resposta a uma obsessão com o intuito de reduzir a ansiedade provocada por esta” (SILVA, 2004, p23).

Podemos então dizer que as obsessões causariam um forte desconforto emocional na forma de ansiedade, já as compulsões, pelo menos a princípio despertariam a sensação de alívio.

As obsessões são entendidas como os pensamentos do sujeito que desencadeiam os atos (compulsões) e que acabam por tornar o sujeito escravo de suas próprias ações e ideias.

O tempo todo em nossas vidas estamos ligados em numerosos pensamentos, sejam eles bons, ruins, bobos, grandiosos, agressivos, pensamentos que nos incomodam, enfim, de todos os tipos e são os nossos pensamentos que de alguma forma representam os nossos medos , anseios e desejos.

Silva (2004), ao falar sobre os pensamentos diz: “quando tentamos manter estrito controle sobre os nossos pensamentos, estamos nos expondo ao risco de vê-los transformados em obsessões”.

A autora diz ainda que para que um pensamento seja considerado obsessivo ele deve ser indesejável e repetitivo, “Quem os tem não os quer, embora saiba que jamais concordaria com o conteúdo desses pensamentos obsessivos ou fariam o que eles sugerem, sentem uma pesada culpa por tê-los” (SILVA, 2004, p.28). Desse modo as obsessões estão ligadas a um desconforto por parte do sujeito, pois esses pensamentos vão contra o que considera correto.

Quanto mais o indivíduo luta contra tais pensamentos, mais esses se apresentarão ele e este acaba se sentindo na obrigação de mudar seu comportamento para aliviar a angústia que sente.

É a partir desse ponto que podemos dizer que os pensamentos deixam de ser usuais, que todo mundo tem e tomam uma característica obsessiva. Os pensamentos obsessivos, estão intimamente ligado ao medo, á um medo que deixa de ser útil e passa a ser irreal.

Características das obsessões:

A autora do livro Mentes e Manias, Ana Beatriz,  cita algumas manifestações específícas relacionadas as obsessões, tais como: Obsessão de agressão (que é a preocupação em ferir os outros ou a si mesmo); Obsessão de contaminação (se caracteriza pela preocupação constante com sujeira, germes, contaminação por vírus e bactéria); Obsessão de conteúdo sexual (se caracteriza pela presença de pensamentos persistente em fazer sexo com pessoas impróprias em situações estranhas); Obsessão de armazenagem e poupança (se caracteriza pela idéia fixa em colecionar ou não se desfazer de vários tipos de objetos); Obsessão de caráter religioso (onde se apresentam pensamentos recorrentes de pecado, o que é certo e errado, falar obscenidades na igreja); Obsessão de simetria (são idéias constantes de exatidão ou alinhamento de objetos, roupas e decoração); Obsessão somática (onde é marcante a preocupação excessiva com doenças); Obsessão ligada à dúvida (onde aparece a preocupação constante com o fato de não confiar em ninguém, a pessoa questiona se realmente realizou determinada tarefa).

 A pessoa que apresenta pensamentos obsessivos exagera todas as probabilidades e possibilidades catastróficas, se culpa por ter tais pensamentos e condena o seu comportamento, dando desta forma uma supervalorização aos seus pensamentos.

Silva (2004), em seu livro Mentes e Manias diz que o conceito de certo e errado preocupa muito as pessoas com quadros obsessivos e que observa em sua prática que as pessoas que apresentam esse transtorno costumam ser responsáveis, perfeccionista e preocupadas com o bem estar alheio.

O sujeito obsessivo desenvolve comportamentos, rituais ou manias na esperança de neutralizar as possibilidades de que venha a acontecer o que ela teme. A esses comportamentos dá-se o nome de compulsão.

Caraterísticas das compulsões:

 A pessoa com um transtorno obsessivo-compulsivo, em geral, tem consciência de que seus comportamentos são irreais e ilógicos, mas acabam repetindo seus rituais por não suportar a ansiedade que sente.

Os conteúdos de nossos medos e pensamentos, manias e rituais variam de uma pessoa para a outra, porém alguns desses são bastante comuns e observáveis em pessoas que sofre de TOC.

Compulsões mais frequentes nos casos de TOC :

Compulsão ou mania de limpeza e lavagem (é quando, por exemplo, o sujeito lava a mão em excesso a ponto de ferir e irritar a pele e toma banhos intermináveis; esta compulsão esta ligada a obsessão da mesma natureza); Compulsão ou mania de ordenação e simetria (a pessoa que sofre dessa compulsão se obriga a arrumar e guardar determinados objetos sempre da mesma forma, posição e com frequência mantendo alguma proporção ou simetria em relação a outro objeto); Compulsão ou mania de verificação ou checagem (é o ato de conferir inúmeras vezes janelas, portas, botões. São nesses rituais que se verificam as proporções dramáticas que o componente da dúvida pode assumir); compulsão ou mania de contagem (por exemplo, contar até 10 em ordem crescente e decrescente até 100 a cada pensamento intrusivo e de conteúdo ruim que venha a mente); Compulsão ou mania de colecionamento (podemos citar o entulhamento da casa com caixas, vidros, livros por medo de vir a precisar de algo e não tê-lo por perto); Compulsão ou mania de repetição (trata por exemplo, de escrever a mesma frase várias vezes); Compulsão ou mania mental (estes rituais por serem encobertos são os mais difíceis e praticamente impossíveis de detectar ao não ser que a pessoa nos fale sobre eles “são atos mentais voluntários para tentar neutralizar os pensamentos que geram intensa ansiedade)”; e temos ainda a Compulsão ou mania diversa (são definidos pelos atos supersticiosos, como por exemplo só vestir roupa de uma determinada cor).( SILVA,2004)

O Transtorno Obsessivo-Compulsivo se apresenta ao sujeito como sendo um limitador social, pessoal e profissional, seus sintomas são vividos de forma desconfortável desde seu quadro mais leva até o mais grave. Os sujeitos que sofrem de TOC fazem um esforço para manter seus rituais e manias sobre controle na frente de outras pessoas, porém na medida em que o quadro vai se agravando ou é agudizado por algum acontecimento, os rituais saem totalmente do controle e as limitações trazidas pelo transtorno ficam evidentes.

Estudos mostram que pode levar em média até sete anos, a partir do início do sintoma para que esse indivíduo comece a ter um tratamento específico, a autora diz ainda que “na maioria absoluta dos casos de TOC o indivíduo mantém sua capacidade de insight preservada, tendo noção da falta de sentido de suas idéias”, o que muitas vezes leva o sujeito a se isolar e a se sentir como um ser que não pertence à sociedade.

São poucos os casos em que se podem observar os impulsos obsessivos sem associação as compulsões, sendo o contrário ainda mais raro.

 

Alguns fatores são apontados como possíveis causas do TOC:

 Predisposição genética, fatores neurobioquímicos, infecções por estreptococos beta-hemilíticos  do grupo A, alterações hormonais durante a evolução da gravidez e após o parto e fatores psicológicos.

Em sua maioria, pessoas acometidas pelo TOC apresentam grandes dificuldades em se relacionar com o mundo, mostram algumas limitações em situações afetivas, sociais, profissionais, escolares e familiares. Infelizmente isso pode ser constatado com o distanciamento e/ou isolamento social por parte desse sujeito.

Formas de tratamento:

No que se refere as formas de tratamento, procure a orientação de um profissional especializado para realizar uma avaliação. Entre em contato com o psicoterapeuta  de sua confiança para receber uma orientação adequada.

psicologo tijuca, terapiaLuciana Zimmerer é psicóloga e atende adolescentes, adultos, grupos, casais e família na Tijuca, RJ.

Fonte:

 SILVA, A. B. B. Mentes e Manias: entendendo melhor o mundo das pessoas sistemáticas, obsessivas e compulsivas. São Paulo: Gente, 2004.

Compartilhe:
Planilhas para você + saiba mais
Sublocação de Sala + saiba mais
Cursos e Grupo de Estudos + saiba mais
Todos os direitos reservados © 2013 Senhora Terapia Design por xCake